Infeliz Squirtle

Escrevi com a ajuda novamente da Rayane. Acabou virando um conto após uma conversa sobre criações de histórias "científicas" em base de histórias tão ingênuas como Pokémon.

Começo
Um menino moderno estava em seu quarto, com as janelas e portas fechadas, com seu novo console para jogar aquele novo Pokémon que saiu há meia hora. Esse aí era obcecado por estes monstrinhos. Nunca deu muito valor às pessoas que estavam ao seu redor, já que essas mesmas pessoas não davam muito valor a ele. Talvez até aos pais dele, que só ligava porque eles tinham dinheiro para trazer os novos jogos.

Em uma manhã chuvosa, o menino moderno resolveu fazer uma caminhada na floresta, percebendo que estava um pouco fora de forma. Acabou imaginando que estava saindo a uma aventura, onde estaria entrando em sua primeira floresta, onde encontraria seres diferentes e tudo mais.

Já em uma parte densa da floresta, o menino moderno já estava começando a ficar com receio de continuar, já que só via seres do tipo inseto e não tinha “flash”. Soou um grito da floresta, o menino ficou com medo e correu em direção que achava que era o caminho de volta. Porém, não estava vendo direito por onde andava e acabou escorregando, após ter pisado em falso. Bateu a cabeça.

Primeira Leva
Atordoado, conseguiu levantar, porém sentia-se se tivesse uma coisa bem pesada em suas costas e sentia também que não tinha muita articulação nos braços e pernas. Viu que estava perto de um lago e achou melhor ver se dava pra beber água. Viu seu reflexo. Ele parecia um pokémon, um Squirtle. Sentiu-se maravilhado, acabou lembrando que era uma situação parecida de um jogo/desenho da série, e tentou fazer um golpe de soltar bolhas. Com esforço, conseguiu. Era então um feliz Squirtle.

O menino moderno havia escorregado e caído em um lago. Enquanto tentava fazer alguma coisa inconsciente, fazia bolhas. Estava afogando. Porém, por algum motivo, voltou a boiar no lago virado para cima. Um caso raro de sonambulismo, o fez estar mais próximo da beira e acabar totalmente nela. Com o tempo, teve que, inconsciente, reagir com as picadas de insetos que estavam procurando por alimento e por defesa.

O feliz Squirtle estava caminhando em busca de suas novas aventuras, quando se encontra em uma caverna cheia de pokémons insetos que apresentavam perigo. Lutou bravamente contra eles e encontrou a saída para o outro lado. Na saída, um pouco tonto por estar envenenado, encontrou outros pokémons que acabaram ajudando o feliz Squirtle a voltar em seu estado normal. Acabou sendo amigos e juntos, foram encarar aventuras em outras cavernas.

Os pais do menino moderno estavam desesperados em procura dele. Gastaram muita verba (o que não era novidade) e continuaram a gastar. O menino moderno estava ficando doente.

O feliz Squirtle teve seus altos e baixos em suas aventuras, tinha vezes que seu poder era mais alto para conseguir derrotar os chefes das cavernas, porém outras, era muito inferior. Mas isso não o deixava desanimado, estava determinado em continuar treinando e poder derrotar a lenda: Zapdos. Zapdos era o pokémon mais forte da região. Só que Squirtle ficou bem fraco após perder uma luta.

O menino moderno foi encontrado finalmente após alguns dias, em um estado crítico. Fora internado rapidamente, os médicos diziam que ele tinha sorte por seu sistema defensivo era elevado, já que sofreu muitos problemas com os insetos. Porém mesmo assim seu estado é crítico. Ele estava inconsciente por muitos e muitos dias, acabando então sendo um coma. Precisava melhorar logo.

Vale dizer que o feliz Squirtle aprendeu muitas técnicas com o tempo, junto com seus grandes amigos. Então, chegou uma hora que estava disposto a enfrentar Zapdos. Seu ânimo aumentava cada vez e ficava mais agitado. Na luta, ele e seus amigos foram juntos contra o lendário Zapdos. Levaram um choque, principalmente o feliz Squirtle que era do típo água. Ficou tudo preto.

Os médicos acabaram de usar o desfibrilhador. O menino moderno abre seus olhos, e sua primeira palavra foi alguma pronúncia que parecia ser de seu pequeno mundo. Bruscamente olhou para seu corpo para ver se ele estava queimado ou algo do tipo, e acabou percebendo que sua forma havia mudado. O infeliz menino agora estava querendo seus amigos de volta. Acabou causando uma euforia que foi internado.

Internação
O que mais o infeliz menino gostaria era “morrer de novo” para ajudar seus amigos, já que eles haviam tomado um choque imenso. Porém, ele querendo ou não, sabia que estavam em dimensões distantes. Os amigos que fizera durante aquele período é como se fossem as coisas mais importantes da vida dele. Ele não era tão valorizado assim, como também nunca valorizou o significado de amizade. Ele era, nesta dimensão em que está vivendo, um solitário. Pensou que seria mais útil se terminasse sua vida morrendo de novo do que qualquer outro jeito.

O infeliz Squirtle acabou acordando. Só que era tarde demais. Estava tudo vermelho.

Vermelho de sangue, o infeliz menino sofreu um acidente na cabeça.

A visão do infeliz Squirtle começava a ficar fraca. Corria em busca de seus amigos, porém estava tudo ficando mais preto e acabou, não tinha mais forças.

O infeliz menino estava internado novamente, foi salvo por uma menina que naquele momento estava andando pelo centro psicológico procurando por outras pessoas, já que não tinha muita companhia. Ele continuou sendo tratado, mas continua inconsciente.

O infeliz Squirtle consegue reunir forças, e encontra uma poção que recuperava todo o seu fôlego, achava que hoje era o seu dia de sorte. Só que, ao levantar e conseguir nitidamente observar em sua volta, acaba encontrando uma figura diferente: um humano. Teve receio de ir até o humano, que o chamava. Acabou pensando que seria aprisionado por uma pokébola (algo que havia lembrado sem saber como), perdendo sua liberdade. Porém, resolveu tentar. Ele era forte o bastante para resistir a uma simples pokébola. Acabou que não capturado, na verdade nem se quer surgiu alguma pokébola.

A menina estava na sala em que o menino, inconsciente, estava se recuperando. Ela tentava confortá-lo, com algumas frases positivas. Isso por um bom tempo. Ela acabou tornando-se uma grande companhia ao infeliz menino moderno. Por mais que todo mundo dizia que ele não poderia lhe responder, a menina acreditava que ele a estava ouvindo e também respondendo, só que eles não eram capazes de ouvir.

O infeliz Squirtle acabou conhecendo a figura humana, que era uma menina. Acabaram criando laços de amizade com o tempo, e viajaram juntos. Em busca dos amigos perdidos, tentando lembrar o caminho até Zapdos. Realmente se tornaram amigos. Porém, nessa viagem, acabaram encontrando um novo pokémon: um Gengar, porém estava estranho, com uma cor mais escura que aquele roxo tradicional. Simpático, o infeliz Squirtle tentou conversar com ele, Gengar responde que ele estava sozinho e sua cor estava assim de tanto caminhar. Ambos pensaram que isso não fazia nem o menor sentido. Mas mesmo assim, resolveram ir juntos em sua jornada.

Um doutor especializado nesse tipo de situação foi ao hospital avaliar como está indo o menino moderno. O infeliz menino moderno estava com lentidão no raciocínio. O acidente, mesmo já resolvido, estava causando problemas. As coisas para ele estavam indo para uma situação muito confusa. Ele está sofrendo contradições, de acordo com respostas que podem ser recebidas com aparelhos.

Gengar parte para o ataque contra a Menina, ela desvia o golpe e acaba retirando algo de seu bolso: uma pokébola. Ela lança ao ar e sai um pokémon, um Psyduck. Diferente do Psyduck tradicional que vemos no anime, ele estava bem sério, porém confuso. A liberdade do infeliz Squirtle estava em jogo, e ele precisaria defender Gengar ou a Menina, e por mais que ele negue, ele sabe os ideais de cada um.


Internação – Momento 1
Zapdos é a saída. Gengar é um pokémon. A Menina é uma humana. Mais um problema em questão da liberdade. A pokébola representa um perigo em relação a isso, ele poderia ser capturado ou censurado pelo Psyduck.

A vida dele trava. Fica tudo travado, mas ele conseguia pensar. Pensou que esse seria o momento certo para escolher o caminho: “Eu confiaria em alguém que passei anos procurando pelos meus amigos, me ajudando em tudo com que precisava, além de ser uma ótima companhia, mas que me apresentou um perigo a liberdade; ou um pokémon, como eu, que está defendendo a liberdade de permanecer aqui, e que conheço a poucos meses? “

Acaba de aprender uma técnica. Conseguia paralisar o mundo todo por um pequeno tempo. O seu psicológico estava evoluindo. Gengar perde a batalha.

- Eu sabia que você podia confiar em mim. - A Menina disse. A pokébola e o Psyduck desapareceram como se fossem apagados.

Internação 2
Nesse meio tempo, eles acabam virando amigos mesmo, só que o infeliz Squirtle tinha uma ideia diferente. Ele pensou que, se ele fosse um humano também, podia ficar ao lado dela como um humano, mas acabou lembrando do seu objetivo principal, os amigos dele. Achava que com ela, tudo ficaria numa boa.

Na sala do infeliz menino moderno, a menina continuara lá. Acabou que passando a dedicar todo o seu tempo conversando com um inconsciente. O infeliz menino moderno acabou ficando doente, devido a um baixo sistema imunológico.

Estavam perto da reta final. Caminhando sobre as grandes areias do deserto, porém o infeliz Squirtle começa a ficar cansado, perde o foco da visão e fica com muita fome. Porém a Menina continuou a ajudá-lo. Até que Squirtle começa a pensar sobre ela, que possuem uma ajuda mútua, pois a Menina queria sair deste lugar, desse mundo. Ela precisava da ajuda de Squirtle para chegar até Zapdos. Mas é lá onde estariam seus amigos. Ele salvaria quem?

A menina que estava com o infeliz menino moderno teve que viajar para ver os pais, assim deixando-o sozinho. O médico disse que isso pode causar algum efeito, mas ela achou que não teria problemas. O infeliz menino moderno estava já com um sistema equilibrado, após vários tratamentos.

O infeliz Squirtle, com seu fôlego de volta, acorda percebendo que a Menina havia desaparecido juntamente com uma maçã. Ele fora abandonado e ainda roubado. Começou a pensar que Gengar era o melhor caminho a seguir e fica com muita raiva.

Na sala, ele faz movimentos bruscos repentinos que até surpreenderam os médicos que estavam de plantão. Logo, a menina que estava de viagem foi avisada e ela logo quis cancelar um pacote de viagens que iria passar com os pais e resolveu voltar ao hospital.

O infeliz e raivoso Squirtle estava na reta final, Zapdos. A Menina não estava por lá, porém já a havia esquecido. Furioso, entra na caverna de Zapdos como se fosse a última coisa que queria fazer, como se derrotá-lo fosse um bônus a toda sua raiva, porque foi Zapdos que o “matou”. Quando chega no andar de Zapdos, o desafiou, porém Zapdos não ataca. O infeliz e raivoso Squirtle resolveu então dar o primeiro golpe.

Internação – Momento 2
Antes de fazer o golpe, ele acabou fazendo a técnica que paralisava o tempo. Acabou lembrando de seus amigos, o seu objetivo de salvá-los. Só que... Eles estavam mortos. Não havia jeito de trazer eles de volta.

Ele sofria a ilusão de poder trazê-los de alguma outra forma, talvez derrotando alguém mais forte que ele, ele conseguiria ter o mesmo poder e voltar a encontrá-los... Porém não era isso.

O infeliz Squirtle poderia continuar nesse mundo, podia criar novas coisas, afinal, o mundo é dele. A criação desse mundo pokémon, dele ser um Squirtle, não se passa por sua vontade de querer. As situações que ele passou, foram consequências da parte dele.

Internação Final
A menina chega correndo a sala do infeliz menino moderno. O viu de maneira raivosa e triste, mas resolveu falar com ele novamente, antes que seja tarde.

Na entrada do andar, a Menina aparece, porém não encontrou nenhum outro pokémon além de Zapdos. Mas ela viu alguma outra figura. Essa figura era do infeliz Menino Moderno, uma figura humana. Finalmente, ambos conseguiriam se ver como iguais e sorriram. Porém, para o infeliz Menino Moderno, sua felicidade acabou, porém sorriu por ela estar lá na reta final por ele e acenou. Acenou.

E levou um choque.

Créditos de Terceiros
http://www.cbc.ca/sevenwonders/images/pic_wonder_prairie_sky_lg.jpg
http://bioviral.deviantart.com/art/Squirtle-7891730

Compartilhe:

5 comentários:

  1. Olá Douglas!
    Nossa, adorei mesmo esta história. Gosto de experimentar novas teorias, então sempre irão surgir novo material para ser trabalhado!
    Quanto a história, pela segunda vez tenho que ficar imaginando o que aconteceu com o carinha! Ele não pode ter morrido... se bem que com o cerebro igualzinho amingau, ele pode ter sofrido um derrame. Prefiro a preimeira opção, nesse caso!
    Até!

    ResponderExcluir
  2. Hahahah, valeu pelo comentário e pelas ideias também.

    ResponderExcluir

Hey! Se quiser, comenta aí!