Logo. Rápido.

Com base de uma ideia que a Rayane teve junto com algumas ideias loucas que eu sempre tenho (ou não). É um conto meio estranho. Acho que seu gênero é misturado.

Sou um membro de um fórum de assuntos diversos. Acabei descobrindo ele por um amigo meu, chamado Wallace. Ele é o moderador daquele fórum, então ele me ensinou já algumas éticas e sistemas de fórum para eu poder me interagir melhor. Acabei conhecendo um monte de gente também, até adicionei um chat.

Acabei recebendo uma Mensagem Privada de um usuário que nunca vi na vida. Perguntei ao pessoal do chat do fórum sobre o nome deste usuário, que se denominava de A, ninguém pôde me responder, como se esse cara nunca tivesse existido naquele fórum tão ativo e que todo mundo conhecia quase todo mundo.

A mensagem na verdade não tinha algo escrito, era totalmente em branca, sem nenhuma imagem nem caractere. O assunto tinha como nome AAAAA. Confuso, eu deixei a mensagem lá e continuei a realizar minha rotina.

Voltei ao chat do fórum, vi que estavam conversando sobre algo sério e pelo excessivo uso da caixa alta, algo também gritadorante. Cumprimentei e perguntei sobre o que estavam conversando. Estavam falando que Wallace sofreu um acidente e está internado no hospital, e que tem alguém usando sua conta. Só que sua conta foi modificada e todo post dele fica todo preto. No início acharam que era brincadeira. Eu achava também. Eles haviam pesquisado sobre isso, em busca de ser algum erro do servidor. Viram também que outros fóruns estão com o mesmo tal erro. Porém, não era um simples erro. O administrador do fórum sumiu por nenhum motivo então sua presença não podia explicar o ocorrido.

Isso estava acontecendo em um certo fórum deserto, onde apenas um usuário ou dois ficavam online. Um colega nosso se registrou lá pra ver o que acontecia. Ele nunca voltou ao chat depois daquilo. Dois dias depois, o irmão dele descobriu sua senha e conseguiu logar em seu Messenger, ele disse que seu irmão havia falecido por motivos não descobertos. Havia em seu corpo, uma folha de papel. Ele não conseguia compreender direito, escaneou e enviou para nós. Era uma folha de caderno comum com umas manchas de sangue, provavelmente de seu corpo.

Naquele fórum deserto estava eu e mais um usuário online, chamado A. Não havia algum outro usuário, nem visitante, nem robôs. Depois de um tempo vasculhando o conteúdo daquele fórum, recebi uma mensagem com o assunto AAAAA sem conteúdo. Lembrei que com um colega do chat aconteceu o mesmo. Decidi apagar a mensagem.

Depois... Surgiu uma postagem nova no mesmo momento quando apaguei a mensagem. Depois de tanto tempo naquele fórum deserto, uma nova postagem surge. Não apareceu o nome do autor do tópico, então decidi ver o que tinha.

Vi algo que eu poderia ter...

Estou com medo. Quero sair daqui... Logo... RÁPIDO. QUERO SAIR DAQUI. LOGO. RÁPIDO.


Perguntei se a polícia está investigando isso. Ele respondeu que sim, porém parece que nada o feriu mesmo com todo aquele sangue pela casa e nele. Fizeram os testes sanguíneos, e deu positivo. O irmão disse que nunca mais vai frequentar fóruns e se despediu.

Outro colega pensou que isso faz tudo parte de uma brincadeira sem graça. Ele foi até aquele fórum, mas saiu como link inválido, como se aquele fórum nunca estivesse existido, mesmo com aqueles serviços de domínio e de voltar ao tempo com tal site. Ele buscou um pouco e encontrou outro fórum, porém... Era igual o nosso fórum, só que com as cores invertidas. Havia lá o mesmo padrão, apenas um ou dois usuários online. Foi investigar e saiu do Messenger logo em seguida. Não voltou mais.

Ninguém, pelo menos por citar, entrou naquele fórum novamente. Depois de uns meses, soubemos que o Wallace estava em nível crítico. Então fui até o hospital onde ele estava internado.

Em seu quarto vi manchas escuras e gravuras incompreendíveis nas paredes. Os enfermeiros disseram que estavam trocando as lâmpadas pela décima quinta vez. Wallace continuava parado e pálido. Os enfermeiros disseram que as câmeras registraram nada de estranho e que Wallace não havia levantado. Essas manchas e gravuras apareceram do nada. Cheguei perto de Wallace, ele tentou dizer oi, porém sem aquele sorriso. Pelo ao contrário, ele estava com uma cara amedrontada e parecia que estava com pressa. Perguntei a ele qual o motivo para tal, ele me entregou um papel:

Conheci. Conheci. Conheci o usuário. Ele me prometeu me dar o que eu mais queria, por mais que ninguém soubesse disso.

Quero sair daqui... Logo... RÁPIDO. QUERO SAIR DAQUI.


Pensei rapidamente e vi que a última parte estava quase idêntica com a folha do outro colega, porém não estava terminado aquele padrão. Wallace suspirou.

Fiquei com ele, sem falar muito, até anoitecer. Ele só conseguiu contar para mim os bons momentos que ele teve em toda sua vida, como se estivesse prestes a morrer. Quando estava cronologicamente perto de sua vida cotidiana, ele disse “até que...” e pareceu que todas as lâmpadas ficaram sem energia. Não podia ver nada. Ouvi um grito bem alto, parecia ser de Wallace só que com uma voz a mais muito estranha. Tampei minhas orelhas e fiquei no chão. Conseguia ouvir mesmo assim o grito e aquele medidor de batimentos cardíacos apitar drasticamente. Eu não podia fazer nada.

A energia voltou. O quarto estava todo preto com aqueles desenhos com traços brancos. As manchas eram de sangue. O papel que estava consigo estava com o resto daquela frase. “Quero sair daqui... Logo. RÁPIDO. QUERO SAIR DAQUI. LOGO. RÁPIDO.

Saí correndo daquele quarto todo horrorizado. Chamei os médicos e tudo o que tinha por lá para poder me explicar o que tinha acontecido e tentar salvá-lo. Não havia mais jeito. Wallace morreu.

Voltei para casa e fui ao chat do fórum. Contei o que havia acontecido. Ficamos tristes e horrorizados com o que aconteceu. Alguns acharam que a culpa era minha, como se eu tivesse o matado. Por isso, criaram uma inimizade. Perguntei também sobre a atividade estranha que possa estar acontecendo com eles. Eles negaram essa tal atividade e também pararam de acessar os fóruns por medo. Praticamente, havia somente eu que visitava aquele fórum, com alguns visitantes e outros usuários que não acreditavam nisso tudo e também com aqueles que não estavam entendendo.

Teve um dia que acabei virando a noite, então resolvi ver como está o fórum. Havia somente eu e mais um usuário online. Esse usuário se chama A, aquele cara que havia me enviado aquela mensagem. Porém não recebi mais nenhuma outra mensagem como os outros. Mas lembrei que eu já havia recebido. Abri a mensagem imediatamente.

Havia naquela mensagem, milhares de As. Decidi não apagar. Apareceu uma postagem no fórum. Porém eu estava com medo e resolvi não ver, deixando isso pra ver durante a manhã. Não consegui dormir direito, só dormi após assistir uns filmes que me deixaram pensando em outros assuntos.

Na manhã, não achei aquela postagem. Fui até o chat para conversar sobre isso, porém estava offline. E qualquer contato que eu tinha do fórum estava também offline. É como se todos estivessem saído no mesmo momento. Continuei a fazer as coisas, como por exemplo ir fazer o meu café. Talvez assim eles pudessem voltar.

Eles não voltaram. Loguei no fórum, e também ninguém estava online por exceção desse A. Surgiu aquela postagem. Abri.

Apareceu um pequeno círculo no centro da postagem. Havia somente isso. Nem apareceu os dados técnicos do usuário. Selecionei toda a postagem com um atalho do teclado. Apareceu um monte de As que estavam invisíveis, e no centro, o ponto havia sumido. Depois de alguns segundos, o navegador estava redirecionando para algum outro site.

Havia uma imagem de uma mulher. Era a minha ex-namorada que morreu há um tempo. Eu nunca havia visto essa foto. Ela estava sorrindo estendendo a mão para mim como se estivesse me chamando para ir com ela. Em baixo, havia dois botões. SIM e NÃO. Cliquei em nada, simplesmente continuei olhando para aquela imagem.

Ela começou a andar. Estava andando para os lados esperando a minha resposta. Depois quando tirou em seu bolso, uma foto minha e dela juntos naquele dia quando ela morreu. Apareceu um carro ao lado dela sem motorista. Era aquele carro que a matou. Mas ela estava sorrindo e estendeu a mão novamente e fez gestos para eu ir com ela.

Fui tentado, com algumas lágrimas escorrendo de meu rosto, a clicar em SIM.

Sim, eu quero ela. Mas para isso... Eu teria de sair daqui... Logo.

Surgiu uma figura humana toda preta que estava andando em direção dela. Ela começou a se afastar e olhar com medo. Pediu minha ajuda, pediu socorro. A figura estava prestes a fazer algum movimento. Ela estava indefesa, com muito medo, como se aquilo fosse a pior coisa que já havia visto. E posso dizer que ela não tinha medo de muitas coisas.

Eu teria de sair daqui... Logo. RÁPIDO.

A figura entrou no carro. Andou a marcha ré a uma grande distância e acelerou. Estava indo bem rápido para atropelar e matá-la como aconteceu antes. Naquele dia eu fiz nada, não tentei impedir. Agora eu poderia fazer isso, eu podia ajudá-la e salvá-la. Era o que eu mais queria.

Eu teria de sair daqui... Logo. RÁPIDO. EU TERIA DE SAIR DAQUI.

Minhas mãos estavam trêmulas e olhei para o mouse. Praticamente tinha um impulso muito grande que me tentava em clicar SIM.

O carro estava ficando mais perto. Lembrei que eu fazia muitas faltas com ela, eu não a agradecia por ter feito tantas coisas, não queria ficar com ela em momentos que fosse necessário pra ela e sim somente a mim, eu fui um homem invisível quando ela estava me procurando feito louca, eu tinha rejeitado em ajudar ela a recortar desenhos para a sobrinha... mas ela está morta. Agora eu poderia fazer isso tudo. Eu podia dizer obrigado e poder retomar tudo o que aconteceu.

Eu teria de sair daqui... Logo. RÁPIDO. EU TERIA DE SAIR DAQUI. LOGO.

O tempo estava acabando. O carro estava bem perto.

Eu teria de sair daqui... Logo. RÁPIDO. EU TERIA DE SAIR DAQUI. LOGO... …

Cliquei em NÃO. O site fechou. Os fóruns que estavam com aquilo foram removidos e apagados, para deletar a todo custo essa coisa. Nunca mais isso aconteceu. Não comigo.

Mas não sei se foram realmente todos os fóruns, provavelmente poderiam ter esquecidos de um ou outro... Então talvez isso pode acontecer... Até lá, não será comigo.

Compartilhe:

6 comentários:

  1. É incrível como o A representa uma nota tão feliz como o Lá e também representa gritos.
    Foi umas história triste, mas em algumas partes assustadora.
    Also, tirou algumas partes do Blind Maiden?

    ResponderExcluir
  2. Pois é.

    Na verdade a ideia de escolher eu acho que sim, porém o efeito soou diferente. Acabei pensando em outras histórias no decorrer do texto, e acabou nisso.

    ResponderExcluir
  3. Tenebroso, companheiro...
    Adorei o conto, um dos poucos que li que me abalaram um pouco(com excessão daquelas creepy pastas gringas que ownam bundas mal lavadas).
    Espero que poste mais, Doug.

    ResponderExcluir
  4. "Ele respondeu que sim, porém parece que nada o feriu mesmo com todo aquele sangue pela casa e nele. Fizeram os testes sanguíneos, e deu positivo." AIDS D:

    hahaha muito bom o conto 5/5

    ResponderExcluir
  5. @Gabriel
    Obrigado cara! Espero que eu também poste mais.

    @Lich King
    HAUAHUAHUAHAUHAUEHUEAIHUEA. Boa XD.

    ResponderExcluir
  6. Enfim conseguiu enfatizar bem, comecei a achar que era real... Bem, como geralmente fico online somente altas horas em alguns forums (como no CL, onde de madrugada fico só), imagino se algum "A" venha a me desafiar hahaha. Sério, gostei muito, afinal, essa coisa de membro fantasma era uma ideia comica que eu tinha heauaeuhu, mas é impressionante como vc conseguiu fazer isso "creepy". Parabéns!

    ResponderExcluir

Hey! Se quiser, comenta aí!